Vacinação

Vacina importada ou nacional? V3 (tríplice),V4 (quádrupla) ou V5 (quíntupla)? Em quantas doses? Qual é o intervalo correto entre elas? Em que parte do corpo do gato as vacinas devem ser aplicadas? Você pretende continuar aí no escuro e deixar todas as decisões importantes nas mãos do "Dotô Zé"?

É assustador o número de profissionais DESATUALIZADOS espalhados por aí (sem contar os malandro$, que colocam o bolso na frente do bem-estar dos pacientes), cuidado! Veterinário recomendando a quíntupla para todos os gatos, com a desculpa esfarrapada de ser mais "completa"; aplicando duas doses da antirrábica; a primeira dose da vacina múltipla em bebês com menos de 2 meses; vacinando adultos como se fossem filhotes; usando o mesmo protocolo para "gatos de apartamento" e aqueles criados com acesso à rua, que dividem a casa com poucos gatos (ou nenhum) e aqueles que vivem em gatis/abrigos lotados, é muito comum, infelizmente. Também comum é aquele que teima em aplicar a vacina no dorso em vez das patas, como se tivesse passado anos em coma e acordado agora, sem saber nada do que foi descoberto na última década.

"É importante salientar que não existe fórmula ou programa de vacinação universal. A imunização deve ser orientada ao paciente de acordo com as condições em que vive e ao risco de exposição a patógenos. As vacinas polivalentes existem para facilitar a vida de nós veterinários, mas nem sempre são ideais para todos os pacientes, principalmente porque as apresentações compostas aumentam o risco de efeitos colaterais.
Um felino que vive em apartamento, sozinho, sem contato com outros animais, com certeza não precisará de um mesmo programa de vacinação que um gato de abrigo, onde o desafio é completamente maiorMedicina Felina: Vacinação em Felinos

Primeira dose e tipo de vacina
"Geralmente recomenda-se iniciar a imunização com cerca de três meses de idade, período em que provavelmente não há mais interferência dos anticorpos maternos. Basicamente deve-se usar a vacina tríplice (contra calicivirose, rinotraqueíte e panleucopenia) e repetir com cerca de 30 dias. Se o animal conviver com muitos gatos, principlamente em ambientes mais fechados, pode-se usar a quádrupla (que possui adicionada a vacina contra clamidiose), porém esta ainda é discutida, devido à clamidiose não ser comum no dia-a-dia da clínica felina. Além de que os efeitos adversos são mais comuns, como febre, prostração, anorexia e dores.
A quíntupla é opção para gatos de vida semi-interna ou que tenham contato com animais vindos de fora do seu ambiente. O que difere da quádrupla é a inclusão da leucemia felina. Lembrando que o filhote deve ser testado para FIV/FeLV antes de ser vacinadoA antirábica é feita anualmente, a partir de quatro meses de idade". - Medicina Felina: Vacinação em Felinos

Novo protocolo vacinal
"O protocolo vacinal adotado pela maioria dos profissionais e recomendado pelos fabricantes, consiste na aplicação da primeira dose de vacina na 8a semana de idade por via parenteral, e uma segunda dose após três a quatro semanas, seguida de reforço anual. Todavia, ultimamente tem se sugerido uma mudança no protocolo vacinal, sendo que após o primeiro reforço anual, as próximas imunizações teriam um intervalo entre doses de três anos. Na verdade, tal mudança é suportada pela teoria de que os produtos biológicos utilizados atestam titulações de anticorpos suficientes para proteger os felinos contra o vírus da RVF, CVF e panleucopenia por mais de três anos. Sendo que, estes títulos de anticorpos declinam de forma gradual ao longo do tempo. Além disso, a memória imunológica contra estas doenças permanece por 7 anos nos felinos vacinados" - Coletâneas em Medicina e Cirurgia Felina

Gatos adultos
"Adult cats of unknown vaccination status should receive a single initial MLV core vaccine injection followed by a booster vaccination 1 year later" - WSAVA.
MLV = modified live virus
[Gatos adultos com histórico de vacinação desconhecido devem receber apenas uma dose de vacina múltipla, seguida de um reforço no ano seguinte]

"Caso o animal se apresente à primeira visita ao veterinário com idade superior a 12 semanas, este recebe apenas uma única dose de vacina de VVM, ou uma dose de vacina de VI e uma segunda dose é repetida após 3 a 4 semanas, e então o reforço é administrado após 1 ano" - Coletâneas em Medicina e Cirurgia Felina
VVM = vírus vivo modificado, VI = vírus inativado
* detalhe: idade superior a 12 semanas! Longe de ser adulto ainda. Por que isso? Porque não há mais interferência dos anticorpos maternos.

Por que mais de uma dose em filhotes?
"a vacina mais importante da série de filhote é aquela feita com 4 meses (ou a partir da 15ª semana, pelo menos). É somente a partir dessa idade que o filhote responderá como o esperado à vacinação porque é quando ele não tem mais a interferência dos anticorpos maternos e quando seu sistema imunológico já está maduro o suficiente para produzir uma resposta segura. As vacinas anteriores (1ª e 2ª doses) servem para proteger apenas de eventuais contatos com vírus que o filhotinho possa ter" - vacinação a cada três anos?

Outro trecho do mesmo artigo acima: "a partir de 16 semanas de idade apenas 1 dose é suficiente para proteger eficientemente. Por isso, acredito que, não importando onde e como tenham sido feitas as vacinas anteriores, se você aplicar uma dose de vacina ética e bem conservada no animal sadio depois da 16ª semana de vida, o filhote estará protegido"

Vacinação em gatos positivos para FIV ou FeLV
Retroviroses em felinos - Quando suspeitar e como diagnosticar? (vídeo)
O médico veterinário Alexandre Daniel, especialista em felinos da Clínica veterinária Gattos, mestre em clínica veterinária e Professor da Universidade Metodista de São Paulo, fala sobre o assunto no finalzinho do vídeo (30:27), assistam!

Vacinação em fêmeas gestantes
Abordagem e manejo do Complexo Respiratório Felino - Parte 2 (vídeo)
Outro excelente vídeo do veterinário Alexandre Daniel (a parte sobre gatas prenhes começa em 11:21)
______________________________________________________________________

 IMPORTANTE:

- animais só devem ser vacinados se estiverem saudáveis. Muito cuidado com veterinários incompetentes e apressadinhos que saem furando os bichos sem um mísero exame antes!

"Após escolhida a vacina, o animal passa por um completo exame físico, para ter certeza que está apto a ser vacinado. Animais com doenças pré-existentes, verminoses, infestações por pulgas ou carrapatos e/ou alteração de temperatura corporal, não devem ser vacinados, pois haverá comprometimento na resposta vacinal. Além disso, caso o animal esteja incubando alguma das doenças as quais a vacina protege, poderá haver piora do quadro". - Clinipet

- animais recém-resgatados ou adotados de abrigos não devem ser vacinados sem que passem por um período de observação de, no mínimo, uma semana.

"A new kitten or adult cat with unknown health history should be monitored at home for a week for signs of illness before vaccinating. If no signs of illness appear, come in for vaccines otherwise visit your regular veterinarian" - Guideline for cats and kittens

- não faça tudo-ao-mesmo-tempo-agora, o corpo do animal (ou melhor, seu sistema imunonológico) precisa de uns dias (mínimo 15 dias, ideal 30 dias) para se recuperar entre vacinação e castração (ou vice-versa). É interessante também fazer um intervalo entre vermifugação e outros procedimentos. O mesmo vale para grandes alterações na rotina (adoção, doação, mudança de casa) que podem causar estresse, que diminui a imunidade. Não aplicar a antirrábica junto com a segunda dose da vacina múltipla também poupa o organismo do seu peludo.

"Orientação de experts pra minimizar riscos de reações adversas: não aplique V8 + antirrábica no mesmo dia; dê 1 mês de intervalo entre elas" (fonte: facebook da veterinária Sylvia angélico. A V8 é para cães, mas o conselho também serve para as vacinas múltiplas felinas, pois a lógica é a mesma)


- se você insiste em levar seus gatos em "profissionais" baratinhos, que não se especializam em felinos e nunca se atualizam, pelamordequalquercoisa, não deixe que o "veterinário de cachorro" que atende seu pobre bichano aplique vacinas no dorso do animal (veja foto de um gato com sarcoma avançado aqui, página 36)! Vacinas devem ser aplicadas em locais específicos (e isso há anos! Nem é mais novidade), conforme o esquema ao lado

- a aplicação deve ser subcutânea e não intramuscular, fique atento!

- até completar o esquema de vacinação, não exponha o animal (nada de banhos em pet shop, por ex!), que só poderá ser considerado imunizado 15 dias após a última vacina, mais ou menos.

- e, por fim, FUJA de veterinários ultrapassados, incompetentes e preguiçosos. LEIA, BUSQUE INFORMAÇÃO! 

(Se você mora numa cidade onde existem especialistas em felinos,  está esperando o que para mudar de veterinário?
A vida do seu gato está nas mãos de um bom veterinário? - contém lista de especialistas em felinos)

"Existe muita gente faturando à custa da saúde dos nossos peludos. Vacinar é importante? Sim (Essa não é a discussão aqui.). Mas a atual banalização da vacinação – todos os produtos disponíveis no mercado sendo aplicados anualmente em todos os pets, independentemente de seu histórico de saúde e do seu estilo de vida -  é uma conduta antiética que comprovadamente pode causar mais prejuízos do que benefícios ao organismo!"
Vacinar é importante. Se educar a respeito de vacinas também é
___________________

SE INFORME! LEIA:
Abordagem e manejo do Complexo Respiratório Felino - Parte 1 (vídeo)
Abordagem e manejo do Complexo Respiratório Felino - Parte 2 (vídeo)
Vacinação de cães e gatos
Vacinas para cães e gatos: estamos vacinando demais?
Malefícios da vacinação excessiva de cães e gatos
A polêmica da vacina antirrábica (Leia! Especialmente você que tem a "coragem" de levar seu gato em campanhas do governo para economizar uns trocados)
**a imagem deste post foi retirada da Revista Cães e Gatos, edição de outubro de 2011, "Protocolos vacinais em felinos", página 34)**